Consoles

WonderSwan Color

Console portátil da sexta geração dos videogames, o WonderSwan Color veio para dar mais força ao WonderSwan na luta contra os portáteis Game Boy Color e Neo Geo Pocket Color. O console manteve o processador de 16bit da versão preto e branca, mas agora com tela colorida (sem luz própria), além de ser totalmente compatível com os jogos do WonderSwan preto e branco.

 

Percebendo que seu console não conseguiria fazer frente ao Game Boy Color em razão principalmente da falta de cores, a Bandai decide lançar rapidamente o seu sucessor. Chega então ao mercado em dezembro de 2000 o WonderSwan Color, trazendo as mesmas características positivas da versão monocromática, mas com a grande vedete dos consoles portáteis da época: cores! O console era um pouco mais caro (algo em torno de 68 dólares), mas ainda assim era mais barato que o Game Boy Color.

 

Outro ponto que ajudava a Bandai eram os títulos de peso de softhouses externas, como a Square, com vários jogos da série Final Fantasy, e também da Capcom, com jogos da série Mega Man, dentre outras (incluindo vários jogos da Namco). Com tudo isso, a Bandai conseguiu assegurar 10% do mercado de portáteis. Uma façanha, considerando a força dos consoles Game Boy, mas ainda assim longe do necessário para que os consoles WonderSwan pudessem ser considerados como um sucesso. Mas em março de 2001, a Nintendo praticamente selou o destino do WonderSwan, com o lançamento do Game Boy Advance, que com um processador de 32bit, era mais moderno e mais potente que o console da Bandai.

 

Ainda seria feita mais uma tentativa de sobreviver no mercado. Em julho de 2002 era lançado o SwanCrystal. Apesar do nome diferente, o console utilizava os mesmos jogos da versão color. O que mudava era basicamente a qualidade superior da tela de LCD. Muito pouco para atrair a atenção daqueles que babavam na qualidade e nos jogos do Game Boy Advance.

 

Já no começo de 2003 a Bandai resolve jogar a toalha e anuncia o fim da linha WonderSwan. Os três consoles somados venderam aproximadamente 3.5 milhões de unidades. Considerando que tudo isso ocorreu dentro do mercado japonês, um número razoável. Apesar do fracasso, o WonderSwan deixou uma boa impressão no mercado de videogames. Todos percebiam que os consoles da linha possuíam boa qualidade e o mesmo era dito em relação aos seus jogos. Talvez o “timing” do seu lançamento é que não tenha sido o ideal.

 

Falando em jogos, como o console foi comercializado apenas no Japão, boa parte de sua biblioteca é composta de jogos voltados àquele pública. Ou seja: muito RPG, jogo de estratégia e jogos interativos que necessitam da compreensão do japonês. Além disso, não poderiam faltar “zilhões” de jogos baseados em animes (boa parte de propriedade intelectual da própria Bandai e da Banpresto, uma de suas subsidiárias). Mas ainda assim era possível encontrar jogos que poderiam ser usufruídos pelo público ocidental, tais como Final Lap Special, Judgement Silversword (um ótimo shmup), Mr. Driller, Gunpey EX (nome dado em homenagem ao criador do console, falecido em 1997) e vários outros.



Ano Lançamento: 2000

Data / Regiões de Lançamento:

09/12/2000 - Japão

Fabricante: Bandai


A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - #

Vídeos